Notícias › 06/08/2014

Papa retoma audiências gerais na aula Paulo VI

original_2013-03-27T131831Z_53556304Esta audiência geral do Papa Francisco teve lugar na Aula Paolo VI devido ao forte calor que se fazia sentir em Roma na manhã deste dia 6 de agosto. Grandíssimo entusiasmo dos oito mil peregrinos ali presentes. Contudo, foram muitos os que seguiram este encontro com o Santo Padre na Praça de S. Pedro através dos grandes ecrâns ali instalados. Tema da catequese: a Igreja, como já tinha sido iniciado em junho pelo Santo Padre. Hoje em particular o Papa apresentou a novidade deste novo povo que se funda na nova aliança estabelecida por Jesus com o dom da sua vida.

Desde logo, uma figura muito significativa que faz a passagem entre o Antigo e o Novo Testamento – João Batista:

“Como precursor e testemunha, João Batista tem um papel central na Escritura, pois faz a ponte entre a promessa do Antigo Testamento e o cumprimento, entre as profecias e a sua realização em Jesus Cristo.”

E o Papa Francisco acentuou o concreto do testemunho de João Batista:

“Com o seu testemunho João indica-nos Jesus, convida-nos a segui-Lo e diz-nos, sem meios termos, que isso pede humildade, arrependimento e conversão.”

O Santo Padre explicou ainda que como Moisés tinha estipulado a aliança com Deus por força da lei recebida no Sinai, assim Jesus, de uma colina na Galileia, entrega aos seus discípulos e à multidão um ensinamento novo que começa com as bem-aventuranças. E a este ponto da catequese o Papa Francisco convidou os peregrinos a repetirem consigo as bem-aventuranças para que fiquem impressas no nosso coração:

“Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.
Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque serão saciados.
Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.
Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.
Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.
Bem-aventurados sereis, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o género de calunias mal contra vós por Minha causa.
Alegrai-vos e exultai, porque grande será vossa recompensa nos Céus.”

O Papa Francisco pediu a todos os presentes que leiam o Evangelho nos próximos dias, nomeadamente as bem-aventuranças.

O Papa Francisco referiu-se ainda ao facto de que Jesus também nos deixou o critério pelo qual seremos julgados. Estaremos com Ele na vida eterna se formos capazes, durante a nossa vida terrena, de reconhecê-lo no pobre, no indigente, no marginalizado, no doente e no sofredor. E tudo isso podemos ler no capítulo 25 do Evangelho de S. Mateus como disse o Papa Francisco convidando todos a relerem e refletirem sobre essa passagem do Evangelho nos próximos dias.

Durante as saudações o Papa Francisco saudou também os peregrinos de língua portuguesa:

“Dirijo uma saudação cordial aos peregrinos de língua portuguesa, em particular aos brasileiros de Rio Grande da Serra. Queridos amigos, sois chamados a ser testemunhas do Evangelho no mundo, transfigurados pela alegria e pela graça misericordiosa de Deus. Desça sobre vós e sobre as vossas famílias a bênção de Deus. “


Aquando da saudação aos peregrinos de língua árabe o Papa Francisco pediu para que se reze tanto pela paz na Médio Oriente.

Na saudação aos peregrinos de língua italiana o Papa Francisco exprimiu a sua proximidade às populações da província chinesa de Yunnan, atingidas no domingo passado por um terramoto:

“Exprimo a minha proximidade às populações da província chinesa de Yunnan, atingidas no domingo passado por um terramoto que provocou numerosas vitimas e grandes danos. Rezo pelos defuntos e pelos seus familiares, pelos feridos e por quantos perderam a casa. O Senhor dê conforto, esperança e solidariedade na provação.”

O Santo Padre recordou ainda o Papa Paulo VI neste dia 6 de agosto em que ocorre o 36º aniversário da sua morte.

Fonte: pt.radiovaticana.va

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.