Destaques › 24/09/2015

Arcebispo participa de audiência com Governador sobre Programa de Cisternas

Reunião realizada na tarde desta quarta-feira, no gabinete do Governador (Foto: Cacilda Medeiros)

Reunião realizada na tarde desta quarta-feira, no gabinete do Governador (Foto: Cacilda Medeiros)

Representantes de seis organizações da Rede Asa Potiguar, acompanhados do Arcebispo Metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, foram recebidos em audiência pelo Governador Robinson Faria, nesta quarta-feira, 23, às 16 horas, na governadoria do Estado. O objetivo dos representantes das organizações foi dialogar com o Governador e secretarias afins sobre as dificuldades de cumprimento de metas dos contratos para construção de cisternas da primeira água (P1MC), por causa de atrasos nas vistorias e no repasse dos recursos dos termos concluídos.

As seis organizações representadas, que executam contratos de construção de cisternas, através da Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social, são o Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários (SEAPAC), Terra Viva, Instituto Chapéu de Couro, Sertão Verde, Diaconia e Cooperativa de Trabalho Multidisciplinar Potiguar (TECHNE). A audiência também contou com a presença de representantes de órgãos do Estado, como CAERN, Secretaria de Trabalho, Habitação, e Assistência Social (SETHAS), Instituto de Gestão de Águas (IGARN), Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMARH), entre outros.

Motivação da audiência

O Arcebispo e presidente do SEAPAC, Dom Jaime Vieira Rocha, abriu o diálogo, expondo a motivação da audiência. Em seguida, o coordenador estadual SEAPAC, Diác. Francisco Teixeira, historiou a caminhada do Programa de Cisternas, chamando a atenção para a importância dessa política pública. “As cisternas são importantes, não apenas porque ajudam a amenizar o impacto da escassez de água, mas pelo grande alcance social para as famílias do campo”, enfatizou.

Ele ressaltou que atualmente há lentidão na vistoria das obras concluídas e, consequentemente, atraso no repasse dos recursos, o que compromete os prazos para conclusão dos contratos, a saúde financeira das organizações e faz o Estado correr o risco de perder a oportunidade de construir mais cisternas. “O que propomos é maior celeridade ao programa e aditamento dos prazos”, pediram as instituições.

O governador ouviu a todos os pedidos e informou que há contratação de pessoal para a vistoria das obras, estrutura de automóveis para o trabalho e acatou a proposta de aditamento do prazo. Na ocasião, Robinson informou que no encontro com a Presidente Dilma Rousseff, em Cabroró (PE), onde está o eixo norte da transposição do Rio São Francisco, solicitou um aditivo no sentido de que sejam construídos seis quilômetros de canal a partir de São José do Egito, na Paraíba, até o Rio Piranhas-Açu, no Rio Grande do Norte. “Para minha surpresa, quando estive em Brasília, fui informado de que esse pedido já está em andamento, nos Ministérios envolvidos na transposição”, disse o chefe do executivo estadual.

Dom Jaime aproveitou a oportunidade para informar ao governador que os bispos estão se articulando com o Governo Federal para uma visita ao Eixo Norte da Transposição, em data ainda a ser agendada.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.