Destaques, Notícias gerais › 19/05/2017

Cardeais conhecem capela onde aconteceu martírio em Cunhaú

Dom Cláudio Hummes e Dom Raymundo Damasceno cumpriram agenda de visitas, desde ontem, nos locais de devoção aos futuros santos do Rio Grande do Norte

Missa na Capela de Nossa Senhora das Candeias, em Cunhaú (Foto: Rivaldo Junior)

Missa na Capela de Nossa Senhora das Candeias, em Cunhaú (Foto: Rivaldo Junior)

Na manhã desta sexta-feira (19), os cardeais Cláudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo e Raymundo Damasceno, arcebispo emérito de Aparecida (SP), encerraram o programa de visitas aos locais de devoção aos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, que serão os primeiros santos mártires do Brasil. Nesta sexta-feira, os cardeais puderam conhecer a Capela de Nossa Senhora das Candeias, que fica situada no distrito de Cunhaú, no município de Canguaretama, onde aconteceu o martírio em 16 de julho de 1645, que vitimou várias pessoas, entre elas, o padre André de Soveral. Na capela, aconteceu celebração de missa, presidida Dom Raymundo e concelebrada por Dom Cláudio, pelo arcebispo metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, além de sacerdotes da Arquidiocese. Algumas autoridades também participaram da celebração, como a prefeita do município de Canguaretama, Fátima Marinho, além de fiéis leigos.

Durante a homilia, Dom Raymundo destacou que o exemplo de fé, deixado pelos mártires potiguares é um convite a todos os cristãos e cristãs. “Somos convidados a ser santos, assim como eles foram, de maneira muito coerente. Somos chamados a exercitar mais a nossa fé, principalmente neste tempo, marcado por tantas indiferenças”, disse.

Ao final da celebração, o arcebispo de Natal fez uma avaliação positiva da visita dos cardeais. “Foi uma graça poder contar com a presença dos cardeais, que puderam conhecer os locais onde aconteceram os morticínios dos nossos futuros santos. Tendo em vista a proximidade do cardeal Cláudio Hummes com a questão da canonização, já que foi ele quem apresentou ao Papa Francisco a história de fé dos nossos mártires, foi muito importante proporcionar esta peregrinação, para que ele pudesse conhecer estes locais, o que reforça ainda mais o nosso sentimento de felicidade por esta graça para a Igreja Católica, que será a canonização dos mártires de Cunhaú e Uruaçu”, comemora.

Os mártires potiguares serão canonizados pelo Papa Francisco, na Praça São Pedro, no Vaticano, no dia 15 de outubro deste ano.

História

No engenho Cunhaú, aconteceu o martírio, em 16 de julho de 1645, quando foi morto o padre André de Soveral e vários leigos. Em Uruaçu, em 03 de outubro do mesmo ano, foram mortos o padre Ambrósio Francisco Ferro, o leigo Mateus Moreira e outros leigos. Nas duas comunidades, o número de leigos assassinados foi de 28.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.