Destaques › 15/11/2015

Centenas de fiéis participaram da Santa Missa neste domingo

Fiéis lotaram a Catedral Metropolitana neste domingo (Foto: Júlio Neto)

Fiéis lotaram a Catedral Metropolitana neste domingo (Foto: Júlio Neto)

“A fé nos convida a cuidar da natureza” (LS 63-64), este foi o tema refletido neste domingo (15), durante a Santa Missa na Catedral Metropolitana de Natal. Em comemoração solene aos 27 anos de dedicação da Catedral e dando continuidade aos festejos da Festa de Nossa Senhora da Apresentação, a celebração teve como noiteiros as paróquias do 1º zonal e o Seminário de São Pedro. A Missa foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha.

Em sua pregação, Dom Jaime falou que: “Para aprofundar a reflexão da noite (LS 63-64), é necessário estarmos atentos e ouvirmos três vozes: A voz de MARIA, o 1º templo do Verbo Encarnado, aquela que cuida, que educa e prepara o Cristo para a sociedade; a voz de JOÃO: ‘O zelo pela tua casa me consumirá’ (Jo 2,17) e a voz de FRANCISCO: Francisco de Assis no século XIII, nos diz de forma poética, mas, firme e clara: toda a louvação do Cântico das Criaturas é um apelo ao zelo para com a terra, o sol, o vento e a água como criaturas de Deus, portanto, o zelo pela natureza. Desde aquele tempo a Igreja já estava atenta a esta realidade de preservação e amor, zelo para com a casa comum. E agora, tem sido o esforço do Papa Francisco, tão plenamente evidenciado na Laudato Sí”, ressaltou.

Dom Jaime disse também que: “Numa correspondência à encíclica Laudato Sí poderíamos entender como se faz para reestabelecer a alegria hoje. Para tal, é necessário diálogo da religião com as ciências, as artes a cultura. Nós católicos, como as outras manifestações religiosas ou formas diferentes de viver a fé, viagens peregrinações e congressos, somos responsáveis por um processo de reconstrução pelo que fora destruído na casa comum. Não se trata de negociações necessárias, mas de esforços para regeneração da dignidade, da esperança e da alegria, pela certeza de contribuir para a restauração da casa comum, da natureza”, disse.

Ao lembrar-se dos 27 anos de dedicação da Catedral Metropolitana de Natal, Dom Jaime enfatizou que: “devemos zelar cuidadosa e amorosamente por aquilo que queremos deixar como herança.”

Para os fiéis presentes na celebração, o Arcebispo Metropolitano de Natal fez um apelo: “Somos nesta celebração meus irmãos, mensageiros de Maria, de Jesus e do Papa Francisco. Devemos ler a Laudato Sí com a ternura de quem prima pela solidariedade. Façamos das nossas celebrações momentos capazes de nos renovar profundamente nesta relação com a obra da criação, a casa comum”. E pediu para e para que os fiéis decidam por fazer um ofertório permanente da vida: “como seremos felizes se sairmos daqui hoje, com o propósito de um ofertório permanente da nossa vida”, disse.

Dom Jaime reforçou a atenção às palavras do Santo Padre: “Os apelos do Papa Francisco são insistentes em lembrar que a Igreja é templo vivo do Espírito Santo.”

Falando sobre a Casa Comum, Dom Jaime lembrou os problemas enfrentados com a escassez da água, fazendo referência ao Rio Piranhas-Açu: “quem vive no Seridó, sabe da importância da água”, lembrou.

A programação religiosa da festa de Nossa Senhora da Apresentação segue até o dia 21 de novembro. Todas as noites haverá recitação do terço a partir das 18h e em seguida novena ou Santa Missa. Na programação cultural, todas as noites, após as celebrações, haverá show e quermesse no estacionamento da Catedral. Confira a programação completa, clicando aqui.

A Festa de Nossa Senhora da Apresentação é transmitida ao vivo, todas as noites, a partir das 18h, pela WebTV apresentação e pela Rádio Rural de Natal.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.