História dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu

Bem aventurados Mártires de Cunhaú e Uruaçu

Os Bem-aventurados Padre Ambrósio Francisco Ferro, Padre André de Soveral, o leigo Mateus Moreira e seus 27 companheiros – os Protomártires do Brasil – foram beatificados na Praça de São Pedro, no Vaticano, no dia 5 de março de 2000, em celebração presidida pelo então Papa João Paulo II, hoje, São João Paulo II. Cerca de mil brasileiros participaram da celebração. A festa litúrgica, no entanto, é celebrada pela Igreja, no dia 3 de outubro, data do martírio, em Uruaçu.

Na Arquidiocese de Natal, há celebrações em memória dos Mártires, no mês de julho, em Canguaretama. Em outubro, a festa acontece no Monumento aos Mártires, na comunidade de Uruaçu, no município de São Gonçalo do Amarante, para onde se deslocam milhares de pessoas, especialmente no dia 3. As celebrações também acontecem nas quatro paróquias dedicadas aos beatos: Santuário dos Mártires, no bairro, no bairro de Nazaré, Natal; Beato Ambrósio Francisco Ferro, no Planalto, Natal; Beato André de Soveral, Emáus, Parnamirim; e Beato Mateus Moreira, Cidade Verde, Parnamirim.

Desde 2007, o dia 3 de outubro tornou-se feriado, no estado do Rio Grande do Norte. No dia 22 de novembro de 2006, a Assembleia Legislativa do RN aprovou o decreto, aprovando o feriado. O decreto foi enviado à Assembleia pela então governadora, Wilma de Faria, declarando 3 de outubro feriado estadual, em memória aos Protomártires.

A história

Em 16 de julho de 1645, o Padre André de Soveral e outros 70 fiéis foram cruelmente mortos por mais de 200 soldados holandeses e índios potiguares. Os fiéis participavam da missa dominical, na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho Cunhaú, no município de Canguaretama, localizado na região agreste do Rio Grande do Norte. Por seguirem a religião católica, tiveram que pagar com a própria vida o preço da fé, por causa da intolerância calvinista dos invasores.

Quase três meses depois, no dia 3 de outubro, aconteceu outro martírio, durante o qual 80 pessoas foram mortas por holandeses. Uma das vítimas foi o camponês Mateus Moreira, que teve o coração arrancado pelas costas, enquanto repetia a frase “Louvado seja o Santíssimo Sacramento”. Este morticínio aconteceu na Comunidade Uruaçu, em São Gonçalo do Amarante, a 18 km de Natal, litoral do RN.

Patrono dos Ministros

A 43ª Assembléia Geral dos Bispos do Brasil, realizada em Itaici/SP, em 2005, aprovou o Bem aventurado Mateus Moreira como “Patrono dos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística”. Em dezembro de 2005, a CNBB comunicou que a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, da Santa Sé, havia aprovado o nome do Beato como patrono dos Ministros.