Voz do Pastor › 03/08/2018

Dia do padre

Queridos irmãos e irmãs!

No próximo dia 4 de agosto, memória de São João Maria Vianney, a Igreja celebra o dia do padre. Este santo sacerdote é o patrono de todos os sacerdotes. A Igreja vê no Santo Cura d’Ars, o exemplo de humildade, de abnegação e de entrega ao serviço dos homens e das mulheres, dos pobres e necessitados. No Brasil, na dinâmica do mês de agosto, Mês Vocacional, o dia do padre é celebrado no primeiro domingo. É um dia especial para rezarmos e refletirmos sobre a vocação e a missão dos padres.

Hoje, quando muitos se perguntam sobre o “padre”, qual a sua importância ou necessidade, é mister reconhecer que se trata de um cristão, homem e consagrado, chamado a viver o seguimento a Jesus, como todos os outros cristãos e cristãs, mas com uma consagração que o torna servo dos outros. Sim, o sacerdócio a que o padre é configurado parte do Sacerdócio comum a todos os batizados. De fato, o Batismo é o início dessa configuração, pois por ele todos os batizados são feitos participes do Sacerdócio de Cristo. “O sacerdócio comum dos fiéis e o sacerdócio ministerial ou hierárquico, embora se diferenciem essencialmente e não apenas em grau, ordenam-se mutuamente um ao outro; pois um e outro participam, a seu modo, do único sacerdócio de Cristo. Com efeito, o sacerdote ministerial, pelo seu poder sagrado, forma e conduz o povo sacerdotal, realiza o sacrifício eucarístico fazendo as vezes de Cristo e oferece-o a Deus em nome de todo o povo; os fiéis, por sua parte, concorrem para a oblação da Eucaristia em virtude do seu sacerdócio real, que eles exercem na recepção dos sacramentos, na oração e ação de graças, no testemunho da santidade de vida, na abnegação e na caridade operosa” (CONCÍLIO VATICANO II. Constituição dogmática sobre a Igreja, Lumen gentium, n. 10).

Hoje, são muitos os desafios e apelos dirigidos aos padres, aos levitas do Senhor. Diante da crise do compromisso comunitário, atestado pelo Papa Francisco, o padre é chamado a tomar consciência, a cada instante, de que é discípulo missionário e animador das comunidades, incentivador do discipulado e da missão. Ele é chamado a alimentar a sua fé, a viver uma espiritualidade missionária, a difundir a revolução da ternura, a combater um mundanismo espiritual, não somente em sua vida, mas também na vida dos outros agentes de pastoral, os outros discípulos missionários. O Papa Francisco recorda muito bem, na Exortação apostólica Evangelii gaudium: “o Evangelho convida-nos sempre a abraçar o risco do encontro com o rosto do outro, com a sua presença física que interpela, com o seu sofrimento e suas reivindicações, com a sua alegria contagiosa permanecendo lado a lado. A verdadeira fé no Filho de Deus feito carne é inseparável do dom de si mesmo, da pertença à comunidade, do serviço, da reconciliação com a carne dos outros. Na sua encarnação, o Filho de Deus convidou-nos à revolução da ternura” (n. 88).

O testemunho de fé e de coerência a que o padre é chamado, é sempre um serviço aos outros. Não é nem peso nem meio fácil de tirar proveito. Somente uma vida de serviço desinteressado pode gerar conversão e entrega à missão. Hoje, como é necessário insistir na formação humana, na consideração da dignidade da pessoa. Os padres são, sobretudo, homens, que indicam para nós a beleza do serviço e do dom da vida pelos outros.

O Papa Francisco, na Encíclica Laudato si’, chamou a atenção para o cuidado da casa comum, afirmando que cuidar da natureza, ter compromissos ecológicos, viver uma espiritualidade ecológica, com uma ecologia integral, é parte integrante da fé cristã. O padre, na sua comunidade, é chamado a conduzir os fiéis a essa mesma espiritualidade. Como é necessário unir cuidado pela natureza e cuidado pelos seres humanos. Através do cultivo de virtudes ecológicas nós, cristãos, podemos, de fato, vivenciar o mesmo olhar de Jesus. Ele, ao mesmo tempo em que mostrava a beleza da criação, não se esquecia de ter compaixão dos seres humanos. O padre é alguém que tem a responsabilidade pela igreja, mas não deve esquecer que ele é um servidor dos filhos e filhas de Deus. Parabéns a todos os padres!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.