Voz do Pastor › 27/01/2017

Fim das férias, retomada do caminho

Queridos irmãos e irmãs!
O mês de janeiro está findando. E com ele, boa parte das férias. Na próxima semana, muitos voltam às suas atividades: os estudantes voltam às aulas, as famílias terminam o veraneio das casas de praia. Também as atividades pastorais em muitas paróquias, especialmente na região urbana, são retomadas.

Nós iniciamos o ano com bastante empenho e cheio de preocupações. Não só em nossa cidade, no nosso Estado, mas também em outras regiões do Brasil e do mundo, acontecimentos trágicos e perspectivas não animadoras vêm trazendo expectativas e sentimentos de tristeza e preocupação. Nos Estados Unidos da América, a posse do novo Presidente, Donald Trump deixou o mundo perplexo diante de suas ideias e opiniões que parecem vão contra o rumo da história. Cabe aqui ressaltar uma palavra do Papa Francisco, numa recente entrevista: “em momentos de crise, o discernimento não funciona” e os povos procuram “salvadores” que lhes devolvam a identidade “com muros e arames farpados”. Sabemos que tudo o que acontece na grande nação dos Estados Unidos da América, tem repercussões no mundo inteiro. Mas, aqui no Brasil os acontecimentos de rebeliões em Manaus, em Roraima e no nosso Estado, na Penitenciária de Alcaçuz e em Caicó, deixaram tristes e aflitos, pois se desdobraram em ações fora dos presídios. Intensificaram nossas súplicas pela paz, pela segurança. A primeira reflexão se apresentou através da Nota que publiquei nos primeiros dias das rebeliões: ‘Acompanhamos, com muito pesar e tristeza, os últimos acontecimentos ocorridos na Penitenciária Estadual de Alcaçuz. Nossa prece e atenção por esses momentos trágicos de violência e de morte. Sem dúvida, é necessária uma urgente reflexão sobre as condições dos nossos presídios. Suplicamos ao bom Deus para que apazigue os ânimos daqueles nossos irmãos a fim de que renunciem à violência, e a sociedade e o Estado busquem o diálogo e encontrem caminhos para enfrentar a problemática que envolve o nosso sistema prisional… Deve ser ideal de todos os brasileiros construir uma Pátria de cidadãos com oportunidades de vida digna, direitos e deveres para todos, e não uma Pátria de excluídos e marginais’. Estamos acompanhando a situação através do Pe. Hugo Galvão, nomeado por mim como Coordenador Estadual da Pastoral Carcerária. Ele leva a todos a palavra de esperança, de compaixão e ao mesmo tempo, uma palavra crítica da situação do sistema prisional que deve mudar para se tornar mais eficaz na sua função.

No dia 11 de janeiro, a nossa Igreja Particular de Natal recebeu uma grande alegria pela nomeação do Pe. Edilson Soares Nobre como Bispo da Diocese de Oeiras, no Piauí. Ele era Vigário Geral de nossa Arquidiocese e Coordenador do Setor de Comunicação. Uma emoção muito grande para nós, pois, o Pe. Edilson é um fiel colaborador de nossa ação pastoral. Mesmo com sentimento de perda, alegramo-nos, pois, com certeza, será um grande bispo, alinhado com o pensamento de Papa Francisco que deseja pastores com cheio das ovelhas, isto é, pastores servidores, que saibam ir ao encontro das pessoas, que procurem acolher e integrar as pessoas e não afugentarem-nas com uma palavra que marginaliza e rotula.

Mas, no dia 13, tivemos a apresentação e publicação no site do Vaticano do Documento Preparatório para a XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que será realizada em 2018 e que tem como tema: “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”. No mesmo dia, 13 de janeiro, o Papa Francisco endereçou uma Carta aos jovens por ocasião da apresentação do Documento. Nesta Carta o Pontífice expressa sua atenção especial à juventude com palavras de um pastor que ama suas ovelhas: “Caríssimos jovens! É-me grato anunciar-vos que em outubro de 2018 se celebrará o Sínodo dos Bispos sobre o tema «Os jovens, a fé e o discernimento vocacional». Eu quis que vós estivésseis no centro da atenção, porque vos trago no coração. Exatamente hoje é apresentado o Documento preparatório, que confio também a vós como «bússola» ao longo deste caminho”.

Renovemos nossa fé, voltemos ao trabalho e a todos anunciemos a alegria de evangelizar, de encontrar as pessoas que amamos e de fortalecer nossa esperança em dias melhores.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.