Voz do Pastor › 19/08/2016

Jubileu das Associações, Movimentos e Institutos Religiosos e Novas Comunidades

Queridos irmãos e irmãs!

No próximo dia 28, domingo, acontecerá o Jubileu das Associações, Movimentos e Institutos Religiosos e Novas Comunidades. Esse Jubileu será realizado na Paróquia – Santuário de Nossa Senhora de Fátima, no Parque das Dunas – Natal. Será um momento especial onde, leigos e leigas, religiosos e religiosas, elevarão ao bom Deus a sua gratidão pela misericórdia divina.

A nossa Igreja está cheia de associações e movimentos que cuidam da formação, da espiritualidade e da ação de caridade em favor dos mais necessitados. O mesmo se diga das Novas Comunidades, com seus vários carismas. Elas lembram que, pelo Batismo, os fiéis são consagrados a Deus e feitos membros da Igreja para serem sinais da fé, agentes transformadores do mundo, com o anúncio da salvação em Cristo. São uma verdadeira escola para os nossos fiéis e, algumas delas, tem uma longa história em nossa Igreja. Devemos sempre louvar e agradecer por todas as associações e movimentos que se dedicam a esse importante serviço na Igreja. Aqui, cabem as palavras inspiradas do Papa Francisco: “Olhar para o Povo de Deus é recordar que todos fazemos o nosso ingresso na Igreja como leigos. O primeiro sacramento, que sela para sempre a nossa identidade, e do qual deveríamos ser sempre orgulhosos, é o batismo. Através dele e com a unção do Espírito Santo, (os fiéis) «são consagrados para serem edifício espiritual e sacerdócio santo» (Lumen gentium, 10). A nossa primeira e fundamental consagração afunda as suas raízes no nosso batismo. Ninguém foi batizado sacerdote nem bispo. Batizaram-nos leigos e é o sinal indelével que jamais poderá ser cancelado. Faz-nos bem recordar que a Igreja não é uma elite de sacerdotes, consagrados, bispos, mas que todos formamos o Santo Povo fiel de Deus. Esquecermo-nos disto comporta vários riscos e deformações na nossa experiência, quer pessoal quer comunitária, do ministério que a Igreja nos confiou. Somos, como frisou o Concílio Vaticano II, o Povo de Deus, cuja identidade é «a dignidade e a liberdade dos filhos de Deus, em cujos corações o Espírito Santo habita como num templo» (Lumen gentium, 9). O Santo Povo fiel de Deus foi ungido com a graça do Espírito Santo e, portanto, no momento de refletir, pensar, avaliar, discernir, devemos estar muito atentos a esta unção” (FRANCISCO. Carta ao Cardeal Marc Ouellet, Presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina, 19 de março de 2016).

Por fim, os Institutos Religiosos, aos quais a nossa Igreja agradece pela dedicação, colaboração e testemunho. Os religiosos e as religiosas, presentes em nossa Igreja Particular merecem nosso reconhecimento e gratidão. Ao celebrar o Jubileu que todos possam, num ato de fé, confirmarem a sua adesão ao Cristo e manifestarem a todos a misericórdia infinita de Deus. Que o seu testemunho ilumine a nossa vida, pois como disse o Papa Francisco, os “Religiosos e religiosas, isto é, homens e mulheres consagrados ao serviço do Senhor que percorrem na Igreja este caminho de pobreza forte, de amor casto que os leva a uma paternidade e a uma maternidade espiritual por toda a Igreja, uma obediência... uma obediência de doação do coração”.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.