Voz do Pastor › 17/03/2017

Ordenação episcopal do Monsenhor Edilson Nobre

Queridos irmãos e irmãs!

Desde o dia 11 de janeiro, a nossa Igreja Particular vive as expectativas da Ordenação Episcopal do Monsenhor Edilson Soares Nobre. Naquele dia, foi anunciada a sua nomeação para Bispo da Diocese de Oeiras, no Estado do Piauí. Para nós, uma grande alegria. O Mons. Edilson era Vigário geral da Arquidiocese de Natal. Sua Ordenação Episcopal será no dia 20 de março.

A Ordenação de um bispo é um momento especial na vida da Igreja. Ela proclama esta verdade: “Pela sagrada Ordenação alguns fiéis são instituídos em nome de Cristo e recebem o dom do Espírito Santo para apascentarem a Igreja pela palavra e pela graça de Deus […] Os Bispos, ‘revestidos da plenitude do sacramento da Ordem’, pelo Espírito Santo que na Ordenação lhes foi dado, ‘foram constituídos verdadeiros e autênticos mestres da fé, pontífices e pastores’ e, como tais, presidem ao rebanho do Senhor na pessoa de Cristo chefe” (PONTIFICAL ROMANO. Ordenação do Bispo, Presbíteros e Diáconos, nn. 1, 3).

O bispo é escolhido entre os presbíteros de uma (Arqui)diocese, por meio de consultas, feitas pela Nunciatura Apostólica, a presbíteros, religiosos e religiosas ou leigos da Igreja, onde ele está incardinado. Esta é uma escolha importante, pois segundo o Concílio Vaticano II, “Na pessoa dos Bispos, assistidos pelos presbíteros, está presente no meio dos fiéis o Senhor Jesus Cristo, pontífice máximo(CONCÍLIO VATICANO II. Constituição dogmática sobre a Igreja Lumen gentium, n. 21). E, ainda: “A consagração episcopal, juntamente com o poder de santificar, confere também os poderes de ensinar e governar, os quais, no entanto, por sua própria natureza, só podem ser exercidos em comunhão hierárquica com a cabeça e os membros do colégio episcopal. De facto, consta pela tradição, manifestada sobretudo nos ritos litúrgicos da Igreja tanto ocidental como oriental, que a graça do Espírito Santo é conferida pela imposição das mãos e pelas palavras da consagração, e o carácter sagrado é impresso de tal modo que os Bispos representam de forma eminente e conspícua o próprio Cristo, mestre, pastor e pontífice, e atuam em vez d’Ele. Pertence aos Bispos assumir novos eleitos no corpo episcopal por meio do sacramento da Ordem”.

Em 2003, o Papa São João Paulo II publicou uma Exortação Apostólica Pós-sinodal Pastores gregis, assim se expressou sobre o ministério dos bispos à luz da esperança teologal: “De fato, é tarefa de cada Bispo anunciar ao mundo a esperança, partindo da pregação do Evangelho de Jesus Cristo: ‘não só a esperança no que diz respeito às coisas penúltimas, mas também e sobretudo a esperança escatológica, que aguarda o tesouro da glória de Deus (cf. Ef 1, 18), que supera tudo quanto tenha já saboreado o coração do homem (cf. 1 Cor 2, 9) e que não tem comparação com os sofrimentos do tempo presente (cf. Rm 8, 18)’. A perspectiva da esperança teologal, juntamente com as da fé e da caridade, deve modelar inteiramente o ministério pastoral do Bispo” (JOÃO PAULO II. Exortação Apostólica Pós-sinodal Pastores greges, n. 3). E o Papa Francisco não deixa de exortar aos bispos para que sejam servidores do povo de Deus, lembrando a graça do chamado: “Sim! Deus precede-vos no seu conhecimento amoroso! Ele ‘pescou-vos’ com a isca da sua misericórdia surpreendente. As suas redes foram-se apertando misteriosamente e não conseguistes evitar de vos deixar capturar. Bem sei que uma emoção ainda vos permeia quando recordais a sua chamada, que chegou através da voz da Igreja, sua Esposa. Não sois os primeiros que fostes atravessados por esta emoção. Também o foi Moisés, que julgava estar sozinho no deserto mas, ao contrário, descobriu-se encontrado e atraído por Deus, que lhe revelou o próprio Nome, não para ele, mas para o seu povo (cf. Ex 3). Revela-lhe o próprio Nome para o seu povo, não vos esqueçais disto. E o grito de dor do seu povo continua a elevar-se até Deus, mas sabei que desta vez foi o vosso nome que o Pai quis proferir, a fim de que pronuncieis o seu Nome ao povo(FRANCISCO. Discurso aos participantes no Curso de formação para novos bispos. 16 de setembro de 2016).

Desejamos ao novo bispo, a partir do dia 20 de março, Dom Edilson, que seja fecundo em seu pastoreio servindo ao povo, pronunciado o nome de Deus para seu povo. Amém!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.