Voz do Pastor › 01/03/2019

Quaresma: chamados à conversão para o amor

Queridos irmãos e irmãs!

Chegou o Tempo da Quaresma. Tempo de reflexão, de penitência, de oração, de sacrifício. É um tempo de preparação para a grande celebração da Páscoa do Senhor, centro do Ano Litúrgico. Serão 40 dias em que toda a Igreja ouvirá o clamor do Senhor: “Convertei-vos”. Como essa exortação é atual e premente. A conversão se torna necessária como reposta aos grandes e graves problemas de nossa Igreja. Certamente, converter-se é um ato de coragem. Mas, durante a Quaresma, esse será o grande grito da Igreja para todos nós.

De fato, a conversão pessoal, tão exigida para que aconteça a conversão pastoral, pois assim sempre se dá o processo – não há conversão de estruturas, se não há conversão dos corações –, é o instrumento mais próprio para sairmos de qualquer crise que abata a Igreja. Ela proporciona uma renovação da vida de todos os batizados: bispos, presbíteros, diáconos, religiosos e religiosas e leigos e leigas. Somente uma verdadeira conversão nos colocará à altura das necessárias e urgentes respostas ao clamor dos homens e das mulheres, especialmente dos que sofrem injustiças. É preciso reconhecer: no caminho da vida de fé, sempre necessitamos de conversão. Peca e se perde quem se reconhece fora dessa necessidade. Já no Ano da Misericórdia, Papa Francisco nos exortava: “Antes de tudo, Deus perdoa sempre! Não se cansa de perdoar. Somos nós que nos cansamos de pedir perdão” (FRANCISCO. Homilia cotidiana de 23 de janeiro de 2015). Triste de nós, se adotássemos esse comportamento. Seríamos “mentirosos”, conforme nos diz São João Evangelista, se disséssemos que não temos pecado. Mas, eis o que é o ponto de partida: todos somos pecadores e necessitados de misericórdia.

E a Igreja é chamada a testemunhar que a misericórdia não tem limites. Pois “Deus, rico em misericórdia, pelo imenso amor com que nos amou, quando ainda estávamos mortos por causa dos nossos pecados, deu-nos a vida com Cristo” (Ef 2,4s). “Vida com Cristo”, esse é o resultado da ação misericordiosa de Deus. Somos chamados a viver essa vida, com as exigências que ela comporta, sim, mas sobretudo, com a liberdade e a beleza de seguir um caminho novo, libertador, que traz um estilo de vida coerente com o próprio ser de Deus: para nós, seguidores do Filho de Deus, o caminho é o da imitação de Cristo. Não em uma abstrata relação de “toma-lá-dá-cá”, não através de um esquema árido de “medo-castigo”, mas por meio do sentido do amor, apresentado por São João: “Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece Deus. Quem não ama, não chegou a conhecer Deus, pois Deus é amor” (Jo 4,7s).

Na sua mensagem para a Quaresma deste ano, o Papa Francisco lembra a necessidade de ver  a redenção operada por Cristo, no seu Mistério Pascal, estendida à criação: “Se o homem vive como filho de Deus, se vive como pessoa redimida, que se deixa guiar pelo Espírito Santo (cf. Rm 8, 14), e sabe reconhecer e praticar a lei de Deus, a começar pela lei gravada no seu coração e na natureza, beneficia também a criação, cooperando para a sua redenção. Por isso, a criação – diz São Paulo – deseja de modo intensíssimo que se manifestem os filhos de Deus, isto é, que a vida daqueles que gozam da graça do mistério pascal de Jesus se cubra plenamente dos seus frutos, destinados a alcançar o seu completo amadurecimento na redenção do próprio corpo humano”.

A Quaresma seja, portanto, um tempo para reconhecermos que o caminho da salvação passa pelo amor. Amor a Deus e amor ao próximo, de atenção e cuidado com a obra da criação. Sabemos, esse caminho é resposta ao ato de Deus de vir ao nosso encontro: só é possível amar a Deus e ao próximo, porque Deus nos ama primeiro. Procuremos viver esse tempo na confiança e na esperança de que a nossa conversão irá transformar o mundo em que vivemos, levando ao testemunho de respeito, de solidariedade, de compaixão e de amor pelos nossos semelhantes, pela casa comum e por toda a obra de Deus.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.