Voz do Pastor › 07/09/2018

Rezemos pela Pátria

Queridos irmãos e irmãs!

Neste dia 7 de setembro, o nosso olhar se volta para a nossa tão amada e querida Nação. Mesmo sabendo, pela fé, que não temos pátria definitiva aqui, pelo contrário, “nós somos cidadãos do céu, de lá aguardamos como salvador o Senhor Jesus Cristo” (Fl 3,20), somos migrantes e forasteiros (cf. 1Pd 2,11), cantamos, sem hipocrisia, “Terra adorada, entre outras mil és tu, Brasil,
ó Pátria amada! Dos filhos deste solo és mãe gentil, Pátria amada, Brasil!
”.

Mas, não ficamos apenas no louvor à Pátria. Sabemos das dificuldades e desafios em que se encontra a nossa Pátria. Temos esperança, pois ela não pode morrer. Ainda mais, pelo fato de crermos na ação renovadora do Espírito Santo. Por isso, é tao necessário e urgente que façamos uma prece pelo Brasil. Sirvo-me da oração feita pelos Bispos do Brasil no ano passado, em que pedimos que rezassem pelo País. Rezar não significa jogar nas mãos de Deus a responsabilidade, tirando-a de nós. Oração significa tomada de consciência de que vivemos numa relação, proporcionada por Deus, desde que criou o homem e a mulher, para estabelecer com eles uma aliança. De fato, Deus quis reunir um povo para que lhe pertencesse. Essa longa história tem início com o povo de Israel, escolhido para ser sinal ou “sacramento”, instrumento que visava a universalidade da graça para todos os povos e nações. Palavras de ternura, de compaixão, até mesmo de caráter esponsal, encontramos nas páginas sagradas do Antigo Testamento, para expressar essa aliança de Deus com a humanidade, com o homem e a mulher: “Eu vos tomarei como meu povo e serei o vosso Deus” (Ex 6,7); “Sião vinha dizendo: ‘O Senhor me abandonou, o Senhor esqueceu-se de mim!’ Acaso uma mulher esquece o seu neném, ou o amor ao filho de suas entranhas? Mesmo que alguma se esqueça, eu de ti jamais me esquecerei! Vê que escrevi teu nome na palma de minha mão, tenho sempre tuas muralhas diante dos olhos” (Is 49,14-17); “Pois assim diz o Senhor Deus: Eis que eu mesmo buscarei minhas ovelhas, e tomarei conta delas. Como o pastor toma conta do rebanho quando ele próprio se encontra no meio das ovelhas dispersadas, assim irei visitar as minhas ovelhas e as resgatarei de todos os lugares em que foram dispersadas em dia de nuvem e de escuridão. Eu mesmo apascentarei minhas ovelhas e as farei repousar – oráculo do Senhor Deus” (Ez 34,11-12.15).

Assim, rezar é assumir que temos um Deus que nos guia e nele podemos ter esperança. Busquemos, então, agir com justiça, com honestidade e com respeito à dignidade de cada cidadao e cidadã. Que a oração pela Pátria faça-nos assumir o nosso papel, a nossa contribuição, especialmente, no tocante à nossa liberdade e autonomia diante das tentações enganosas do poder, da corrupção e de uma linguagem falsa e mentirosa. Eis a nossa prece:

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.