Voz do Pastor › 23/06/2017

Viva João Batista, viva o Precursor!

Queridos irmãos e irmãs!
A celebração do nascimento de São João Batista, comemorado dia 24, lembra-nos o significado da missão do chamado “Precursor do Messias”. Além de ser um santo muito popular, São João Batista tem um lugar muito especial na História da Salvação. Por ser relatado no Evangelho de São Lucas, a Igreja celebra justamente o seu nascimento, o que é quase uma exceção, pois a memória litúrgica dos santos ocorre sempre no dia de sua morte. Assim como o nascimento de Jesus foi anunciado pelo anjo, o nascimento de João foi anunciado pelo anjo a Zacarias, esposo de Isabel (cf. Lc 1,5-25). A missão de João era prepara um povo bem disposto para o Senhor (Lc 1,17), missão que ele cumpre com o batismo de conversão. O seu nascimento foi saudado por Zacarias, seu pai, com um hino, conhecido como “Benedictus”, onde se canta o louvor ao Deus de Israel, fiel às suas promessas, misericordioso e santo. Neste hino, Zacarias resume a missão de seu filho, João: “E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque irás à frente do Senhor e lhe prepararás o caminho, para dar ao seu povo conhecer a salvação, pelo perdão dos pecados. Graças à ternura e misericórdia de nosso Deus, que nos vai trazer do alto a visita do Sol nascente, que há de iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte e dirigir os nossos passos no caminho da paz” (Lc 1,76-79).

A importância da vida e da missão de São João Batista é expresso por escritor do 5º século com essas palavras: “De entre os títulos de glória do santo e bem-aventurado João Batista, cuja festa hoje celebramos, não sei qual prefiro: se o seu nascimento milagroso ou a sua morte, ainda mais milagrosa. O seu nascimento trouxe uma profecia (Lc 1,67ss.), a sua morte a verdade; o seu nascimento anunciou a chegada do Salvador, a sua morte condenou o incesto de Herodes. Este santo homem […] mereceu, aos olhos de Deus, não desaparecer da mesma forma que os outros homens deste mundo: deixou este corpo recebido do Senhor, confessando-o. João cumpriu em tudo a vontade de Deus, uma vez que a sua vida e a sua morte correspondem aos Seus desígnios. […] Ainda se encontrava no ventre de sua mãe e já celebrava a chegada do Senhor com os seus movimentos de alegria, uma vez que não podia fazê-lo com a voz. Isabel diz a Santa Maria: «Pois logo que chegou aos meus ouvidos a tua saudação, o menino saltou de alegria no meu seio» (Lc 1,44). João exulta antes de nascer e, antes de os seus olhos verem o mundo, o seu espírito reconhece já Aquele que é o seu Senhor. Penso que é este o sentido da frase do profeta: «Antes que fosses formado no ventre de tua mãe, Eu já te conhecia; antes que saísses do seio materno, Eu te consagrei» (Jr 1,5). Não é de surpreender que, encarcerado na prisão para onde Herodes o enviara, tenha continuado a pregar por intermédio dos seus discípulos (Mt 11,2), uma vez que, ainda no ventre de sua mãe, anunciara já com os seus movimentos a vinda do Senhor” (São Máximo de Turim (?-c. 420),
Sermão 36).

João Batista é exemplo de profeta. Embora não tenha sido discípulo do Senhor, sua glória consiste em ter sido o Precursor. E mais, pela sua adesão firme à Palavra de Deus, tornou-se mártir. Um martírio experimentado já em vida, pelo testemunho de sua missão: “João replicou: Ninguém pode atribuir-se a si mesmo senão o que lhe foi dado do céu. Vós mesmos me sois testemunhas de que disse: Eu não sou o Cristo, mas fui enviado diante dele. Aquele que tem a esposa é o esposo. O amigo do esposo, porém, que está presente e o ouve, regozija-se sobremodo com a voz do esposo. Nisso consiste a minha alegria, que agora se completa. Importa que ele cresça e que eu diminua. Aquele que vem de cima é superior a todos. Aquele que vem da terra é terreno e fala de coisas terrenas. Aquele que vem do céu é superior a todos” (Jo 3,27-31).

Ao celebrar São João Batista, a Igreja renova o mesmo testemunho. Sim, ela vive por causa do Esposo, e nós, discípulos e discípulas, somos amigos e amigas do Esposo. Nossa grande alegria consiste em reconhecer: é preciso que ele cresça. Mas, isso significa Ele crescendo em nós, isto é, o Cristo cresce em nós, pela escuta e obediência à Palavra, e principalmente, pela vivência do mandamento do amor, deixado por Ele como testamento (cf. Jo 15,12.17). Viva João Batista, viva o Precursor, porque João Batista anunciava o Salvador!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.