Artigos, Notícias › 21/10/2016

Queridos Jovens, invadam a Igreja!

Pe. Matias Soares
pe-matias-soares2-cacilda-medeiros-5
Do clero da Arquidiocese de Natal, residente em Roma

O Papa Francisco, que realmente se deixa surpreender a cada momento do seu pontificado, e nos contagia constantemente, convocou o próximo Sínodo, que será dedicado à Juventude, que acontecerá em outubro de 2018. O acontecimento é sinal que confirma a solicitude pastoral da Igreja para com os jovens e tem por finalidade “acompanhar os jovens em seu caminho existencial rumo à maturidade, para que, através de um processo de discernimento, possam descobrir seu projeto de vida e realizá-lo com alegria, abrindo-se ao encontro com Deus e com os homens, participando ativamente da edificação da Igreja e da sociedade”, assim é noticiado depois do anúncio.

A Igreja fez a opção preferencial pelos Jovens, na III Conferência Latino Americana, que aconteceu em Puebla, em 1979, no México. De lá para cá, muitas mudanças têm acontecido no cenário global. Dentre estas, a mais pungente foi o forte avanço dos Meios de Comunicação Sociais. Aqui, tenho em conta, de modo geral, os vários meios. A Igreja, desde o Vaticano II, teve a preocupação de manter-se em sintonia com o mundo, no Mundo. A evangelização da Juventude foi uma preocupação que tem que continuar a nos motivar. As Jornadas Mundiais da Juventude são um acontecimento que mostram que este olhar especial continua a ser de toda a Igreja e para a Igreja toda; pois a Juventude é o presente e futuro da Igreja e da Sociedade.

O Papa Francisco, na Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, conclamou que a Juventude fosse “Revolucionária”. Instigou os Jovens a um “Protagonismo na Igreja, na Sociedade e no Mundo”. Em Cracóvia fez a chamada para que esta mesma fosse este sinal de transformação nas realidades onde estivessem. Ou seja, há uma autêntica, eclesial e evangélica atenção para com a nossa tão amada e especial Juventude.

A experiência pastoral nos mostra que os Jovens querem e esperam ser acolhidos pela Igreja. Eles desejam ser Igreja; mas a Igreja precisa também ser Jovem, como tão bem admoestou São João Paulo II. Nós precisamos acolher e abrir os nossos corações para os nossos Jovens. A Igreja deve ser para eles uma casa de acolhimento, fraternidade, esperança, afeto, ternura e muita confiança. Confiemos na nossa Juventude! “Deixemos que os Jovens invadam a Igreja!” Permitamos que eles, a partir do encontro com Jesus Cristo, na Igreja, sejam Sal da Terra e Luz do Mundo (Mt 5,13), como Discípulos Missionários de Jesus Cristo. Deixemos que eles sejam “seguidores do Senhor!” A nossa opção preferencial pela Juventude tem que ser afetiva e efetiva; pois a Igreja, que é Mãe e Mestra, cuida e ensina para que a Juventude se encante e saiba a alegria de amar e testemunhar o que é próprio do Reino de Deus.

Por fim, continuo a dizer: “amados e queridos Jovens, invadam a Igreja!”, nossas paróquias, arquidiocese, universidades, praças, mídias sociais… testemunhando a Alegria do Evangelho. Sejam protagonistas da história e testemunhem a beleza de ser Cristão e ser Igreja. Nós confiamos em vocês! A Igreja aposta em vocês e Jesus Cristo os chama para que todos sejam sinais de fé, amor e esperança. Assim o seja!

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.