Artigos, Notícias › 13/08/2021

Como promover as Vocações Religiosas?

Por Fabiano Fachini
Jornalista e Estrategista Digital (IG @FabianoFachini)

“As vocações nascem na oração e da oração. E só na oração podem perseverar e dar fruto”, nos ensina o Papa Francisco. Nesse mês de agosto, Mês das Vocações, todo católico é convocado a promover as vocações – mas não só em agosto.

Pensando nisso, elaborei algumas sugestões para que possamos divulgar e promover as vocações na catequese, na Pastoral Vocacional, na comunidade e na vida, pois as pequenas atitudes também fazem a diferença nessa missão.

No 3º domingo de agosto, dia 15, celebramos as Vocações Religiosas. Mas: o que é e quem são os que acolhem o chamado para a Vocação Religiosa?

São homens e mulheres que foram chamados a servir a Deus, na Vida Consagrada Celibatária, com votos de pobreza, obediência e castidade. São os padres, os diáconos, os irmãos, as irmãs e freiras.

Agora que sabemos o que é “vocação religiosa”, vamos para as ideias de conteúdo, mudanças de atitude e mão na massa!

Na Catequese:

A oração é essencial para promover e aumentar as vocações. Então: reze e atenda a exortação de Jesus de “rezar ao Senhor da Messe para que envie operários para a sua messe” (MT 9, 36-38).

O próprio Documento de Aparecida destaca: “É necessário intensificar de diversas maneiras a oração pelas vocações. As vocações são dom de Deus; portanto, em cada diocese, não devem faltar orações especiais ao ‘Dono da Messe’.” (nº 314).

Catequista, assuma com os catequizandos um compromisso de orar pelas vocações religiosas e incentive, também, a rezarem por sua própria vocação. O chamado vem do Criador, vamos ajudar os jovens a ouvirem? O chamado vem d’Ele, mas a resposta é humana e podemos colaborar na escolha e orientação. “Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi” (Jo 15, 16).

Outra sugestão no âmbito da catequese é promover encontros presenciais ou virtuais entre os Religiosos e os catequizandos. A partilha de experiencias será importante para a construção destes jovens, que podem ter curiosidades sobre a vida religiosa, e colaborar com o fim das “piadas de mal gosto” sobre os vocacionados (sim, elas existem na Igreja e não são poucas!).

Na Pastoral Vocacional:

Apoie e participe da Pastoral Vocacional da sua Diocese ou Paróquia.

Leia sobre as vocações e conheça a vocação de algumas personalidades bíblicas. Conheça e reze pedindo a intercessão dos santos e santas que foram padres ou religiosas.

Essa iniciativa é válida também para a catequese e grupos de oração.

Na comunidade:

Motive e dê suporte aos pais, parentes e amigos dos vocacionados para que apoiem a caminhada do filho ou amigo. Sabemos que muitos vocacionados desistem pelos comentários negativos dos familiares e pelas implicações dos colegas.

Falar sobre as Vocações Religiosas na sua comunidade pode ser o início de uma transformação que irá refletir, em toda paróquia e Diocese, no respeito pelos vocacionados e na inspiração de novas vocações.

“A família que está aberta a valores transcendentes, que serve os irmãos na alegria que o carregam com generosa fidelidade os seus deveres e tem consciência da sua participação quotidiana no mistério da Cruz gloriosa de Cristo, torna-se o viveiro primário e mais excelente de vocações vida de consagração ao Reino de Deus.” (cf. FC- 53- Da exortação apostólica “Familiaris Consortio” de João Paulo II)

Reze em comunidade pelas vocações.

Apoie causas vocacionais:

Motive sua comunidade a conhecer e apoiar o projeto da Pastoral Vocacional, Seminário, Convento ou Comunidade de Vida Consagrada próximo da paróquia.

Essas iniciativas não são difíceis, veja só:

– Escrever cartas aos vocacionados;

– “Adotar” e comprometer-se a rezar pela vocação de um jovem vocacionado;

– Se reunir e realizar uma ação de benfeitoria para ajudar na manutenção do Seminário, Convento ou Comunidade de Vida Consagrada.

Na vida:

Sim, na vida! Significa que nas conversas em família, na roda de amigos, no grupo de oração e na comunidade você irá ajudar a combater o “bullying vocacional”.

Muitos jovens vocacionados sofrem com as brincadeiras de mal gosto que ouvem dos amigos, familiares e até mesmo na sua comunidade de batismo.

 

Promover as vocações é missão de todos nós.

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X