Destaques › 24/11/2014

Documento 100 serve de base para Assembleia Pastoral

Pe. Francisco Wloch, assessor da assembleia  (Foto: Cacilda Medeiros)

Pe. Francisco Wloch, assessor da assembleia
(Foto: Cacilda Medeiros)

O primeiro dia da 54ª Assembleia Pastoral Arquidiocesana é dedicado ao estudo do Documento 100, da CNBB, sob a ótima da conversão pastoral. O tema é assessorado pelo secretário adjunto de pastoral, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Padre Francisco Wloch (Pe. Chico).

No início da explanação, Padre Chico lembrou a frase de Jesus “Ide pelo mundo e evangelizai”. “Trazendo pra nossa realidade, a pergunta é: qual é o mundo da nossa missão? Quando eu era pároco em uma paróquia, na Arquidiocese de Florianópolis, eu dizia pra mim mesmo: ‘Ide pela Arquidiocese de Florianópolis e evangelizai’. Quando era coordenador arquidiocesano de pastoral, dizia: ‘ide pela pastoral e evangelizai”, destacou o assessor.

Segundo Padre Chico, algumas questões levaram à elaboração final do documento 100. As questões, de acordo com o secretário adjunto pastoral da CNBB, foram: ‘o que é comunidade? O que é comunidade de comunidades? O que é conversão pastoral?’ O Documento foi aprovado pela 52ª Assembleia Geral da CNBB, realizada em abril deste ano, em Aparecida (SP).

Outro ponto destacado pelo assessor foi o significado para palavra ‘evangelizar’. Para o Padre Francisco Wloch, evangelizar é atingir e modificar pela força do Evangelho a partir de Jesus Cristo. “As mudanças de época pedem uma posição diferente na vida da gente. Emergem algumas urgências na evangelização que devem estar presentes no planejamento e nos consequentes planos. O que é uma urgência? É aquilo que não se pode adiar. É aquilo que é preciso fazer com rapidez”, comentou o assessor.

Na parte da tarde, desta segunda-feira, o Padre Chico continuará a explanação sobre o Documento ‘Comunidade de Comunidades: uma nova paróquia’.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X