Destaques › 30/12/2020

Dom Jaime vai celebrar 25 anos de episcopado

A ordenação aconteceu no dia 6 de janeiro de 1996, na Basílica de São Pedro, em Roma

(Foto: Aldair Santos)

O arcebispo metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, vai celebrar 25 anos de episcopado, no próximo dia 6 de janeiro. A celebração em ação de graças será às 9 horas da manhã, da quarta-feira, dia 6, na Catedral Metropolitana. A missa poderá contar com a participação de fiéis, obedecendo às regras de distanciamento, uso de máscara e de álcool em gel. O controle da entrada será por ordem de chegada, até atingir a capacidade de 630 pessoas. A celebração será transmitida, ao vivo, pelas páginas da Arquidiocese de Natal no Facebook e no Youtube e pelas Rádios 91.9 FM e Santana FM.

O Setor de Comunicação da Arquidiocese produziu uma edição especial da Revista A Ordem, que será distribuída com as pessoas que estiverem na Catedral, por ocasião da missa em ação de graças, e um vídeo documentário que será publicado nas mídias digitais da Arquidiocese, na manhã do dia 6 de janeiro. A revista e o vídeo documentário contam com testemunhos de pessoas que acompanharam de perto o ministério episcopal de Dom Jaime, nestes 25 anos.

 

Nomeado e ordenado por São João Paulo II

Ordenação episcopal pelo Papa João Paulo II (Foto: Serviço Fotográfico do Vaticano)

O então Monsenhor Jaime Vieira Rocha contava com 20 anos de sacerdócio. Já havia desenvolvido o ministério em algumas paróquias, merecendo destaque para a atuação na Paróquia de São João Batista, em Pendências. Em 1995, ele residia em Natal,  onde exercia as funções do reitor do Seminário de São Pedro e de vigário episcopal para as pastorais sociais, na Arquidiocese.

Na manhã do dia 21 de novembro de 1995, Mons. Jaime recebeu, através do então arcebispo metropolitano, Dom Heitor de Araújo Sales, uma notícia que transformaria sua vida: o Papa João Paulo II havia o nomeado bispo para a Diocese de Caicó, no sertão potiguar, que estava vacante. O anúncio da nomeação foi tornado público no dia 29 de novembro, uma quarta-feira.

Poucos dias depois, mais uma surpresa para Mons. Jaime: o Papa João Paulo II decidiu ordenar, em Roma, 14 bispos que ele havia nomeado, naqueles dias. E a data escolhida foi 6 de janeiro de 1996, festa da epifania do Senhor, na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Um grupo de familiares e amigos foi a Roma para participar da celebração. O grupo de potiguares ainda teve a oportunidade de participar de uma audiência com o Santo Padre, dois  dias após a sagração de Dom Jaime.

 

Bispo de Caicó (RN)

 

No dia 4 de fevereiro de 1996, Dom Jaime assumiu o pastoreio da Diocese de Caicó, formada pelas paróquias situadas na Região do Seridó Potiguar.

Em terras do semiárido, Dom Jaime se destacou pelo trabalho social junto às comunidades rurais, em especial. Durante o pastoreio de Dom Jaime, de 1996 a 2005, a Diocese de Caicó teve a oportunidade de firmar parcerias com várias instituições governamentais e não governamentais. Do diálogo com as comunidades rurais, com os movimentos sindicais e com as instituições parceiras, nasceu o Plano de Desenvolvimento do Seridó, a partir de um processo político, técnico e pedagógico. Esse trabalho originou, depois, a Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó (ADESE), cujo primeiro presidente foi Dom Jaime. A ADESE está em atuação até hoje, funcionando, inclusive, como secretaria executiva do Comitê da Bacia hidrográfica dos rios Piancó-Piranhas-Açu.

 

Bispo em terras paraibanas

 

Após nove anos à frente da Diocese de Caicó, Dom Jaime foi transferido, pelo Papa João Paulo II, para a Diocese de Campina Grande. A posse aconteceu no dia 23 de abril de 2005. Durante os seis anos em que esteve no pastoreio dessa Diocese, situada na Borborema paraibana, ele reformou o prédio onde funciona a Cúria, deu atenção à formação permanente do clero, empenhou-se no contato com outras instituições, deu atenção às ações sociais, entre outros aspectos da missão.

Ainda quando seminarista, Dom Jaime fez o curso de Sociologia, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e isso fez com que ele tivesse um olhar diferenciado para as ações sociais, seja como padre seja como bispo. Em Campina Grande não poderia ser diferente. Logo que assumiu a Diocese, em 2005, ele começou a organizar, junto com o Regional Nordeste 2, um seminário para comemorar os 50 anos do primeiro Encontro dos Bispos do Nordeste. Esse seminário, realizado em 2006, reuniu autoridades, movimentos sociais, movimentos do meio popular e instituições que apresentaram experiências exitosas sobre o desenvolvimento do Nordeste. Em 2011, em outro seminário, surgiu o Observatório Social do Nordeste (OBSERNE) que está em atuação até hoje.

Entre 2 de fevereiro de 2007 e 31 de agosto de 2008, Dom Jaime também foi administrador apostólico da Diocese de Guarabira, acumulando as duas funções.

 

Arcebispo de Natal

 

Em 21 de dezembro de 2011, o papa Bento XVI confiava uma nova missão a Dom Jaime Vieira Rocha. A Igreja o chamava para estar mais próximo de casa e da Arquidiocese a qual ele pertencia e onde exerceu seu ministério sacerdotal. Dom Jaime deixava a Diocese de Campina Grande (PB) e passava a ser o 6º Arcebispo Metropolitano de Natal. A posse canônica aconteceu no dia 26 de fevereiro de 2012, na Catedral de Nossa Senhora da Apresentação, na capital potiguar, reunindo milhares de fiéis.

As características como a preocupação com o próximo e com as causas sociais, tão presentes na vida de Dom Jaime, mesmo antes de ser nomeado bispo, em 1995, também integraram o seu trabalho pastoral na Arquidiocese, que atualmente conta com 108 paróquias e quatro áreas pastorais.

Das ações sociais, na Arquidiocese de Natal, lideradas por Dom Jaime, pode-se destacar a Caminhada da Solidariedade,  que fez com que muitos católicos colaborassem, de fato, com abrigos de idosos, hospitais, orfanatos e casas para dependentes químicos, entre outras instituições.  Atualmente, o arcebispo de Natal também é presidente do Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários (SEAPAC), um organismo ligado à Igreja Católica e que atua em todo o Rio Grande do Norte, principalmente na região do Semiárido.

Do ponto de vista pastoral, Dom Jaime sempre enfatizou os aspectos da vivência da fé e vida. Ele encabeçou uma campanha para tornar o Catecismo da Igreja Católica acessível ao maior número de famílias, no território arquidiocesano.

Dom Jaime também foi testemunha de grandes preocupações e avanços da sociedade, como as questões ligadas à comunicação. Ele vivenciou a migração da Rádio Rural AM 1090 para a frequência modulada, se transformando na Rádio 91.9 FM, além da mudança do jornal A Ordem, que vinha de um histórico de mais de 80 anos, para revista, se atualizando e caminhando junto com as exigências do mundo atual. Vale destacar ainda a instalação do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano, além da ordenação episcopal de Dom Edilson Nobre, filho da Arquidiocese, que foi nomeado para a Diocese de Oeiras (PI).

Outro momento marcante foi a canonização dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, no ano de 2017, em Roma. Dom Jaime acompanhou os últimos anos do processo para a canonização e participou da celebração, em Roma, presidida pelo Papa Francisco.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X