Voz do Pastor › 03/06/2016

A alegria do amor – A Exortação Apostólica de Papa Francisco (2)

Queridos irmãos e irmãs!

Na Exortação Apostólica Pós-sinodal Amorislaetitia, Papa Francisco faz uma relação entre o tema da alegria do amor e o Ano da Misericórdia, dentro do qual declara que ela adquire um significado especial: primeiro, é uma “proposta para as famílias cristãs, que as estimule a apreciar os dons”; segundo,“encorajar todos a serem sinais de misericórdia e proximidade para a vida familiar” (n. 5). A estrutura da Exortação Apostólica é apresentada pelo Papa no número 6: 1º capítulo: Abertura inspirada na Sagrada Escritura; 2º capítulo: Situação atual das famílias; 3º capítulo: Elementos essenciais da doutrina da Igreja sobre matrimônio e família; 4º e 5º capítulo: centrais, dedicados ao amor; 6º capítulo: Caminhos pastorais; 7º capítulo: A educação dos filhos; 8º capítulo: Convite à misericórdia e ao discernimento pastoral; 9º capítulo: Linhas de espiritualidade familiar.

Após a exposição sobre a estrutura o papa aconselha: “devido à riqueza que os dois anos de reflexão do caminho sinodal ofereceram, esta Exortação aborda, com diferentes estilos, muitos e variados temas. Isto explica a sua inevitável extensão. Por isso, não aconselho uma leitura geral apressada” (n. 7). O papa, ainda, dá algumas dicas: “Poderá ser de maior proveito, tanto para as famílias como para os agentes de pastoral familiar, aprofundar pacientemente uma parte de cada vez ou procurar nela aquilo de que precisam em cada circunstância concreta. É provável, por exemplo, que os esposos se identifiquem mais como quarto e quinto capítulo, que os agentes pastorais tenham especial interesse pelo capítulo sexto, e que todos se sintam muito interpelados pelo oitavo” (n. 7). O grande desejo do Papa Francisco é: “que cada um, através da leitura, se sinta chamado a cuidar com amor da vida das famílias, porque elas «não são um problema, são sobretudo uma oportunidade” (n. 7).

No primeiro capítulo, intitulado “À luz da Palavra”, o papa afirma que a Bíblia “aparece cheia de famílias, gerações, histórias de amor e de crises familiares, desde as primeiras… até às últimas páginas” (n. 8). Todo o texto do primeiro capítulo é iluminado pelo Salmo 128, “um canto que ainda hoje se proclama nas liturgias pascais quer judaicas quer cristãs”. O convite do papa Francisco é de “cruzar o limiar desta casa serena, com a sua família sentada ao redor da mesa em dia de festa” (n. 8).

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X