O Sínodo da Amazônia e suas finalidades

Por Pe. Matias Soares
Pároco da Paróquia de Santo Afonso Maria de Ligório – Mirassol – Natal

 

O clima de polarização extremista é uma das marcas dos nossos tempos. A irracionalidade das manifestações da condição humana penetra vários espaços da cultura. Isso é fato social, com o qual temos que aprender a conviver, interpretar e iluminar.

O Papa Francisco convocou o Sínodo para a Amazônia. As polêmicas foram paulatinamente sendo instigadas. Uma ínfima patota de opositores de tudo quanto é atitude pastoral do Sucessor de Pedro começou a jogar suas bombas para causar a confusão no processo de execução do evento. São os terroristas eclesiásticos. Eles sempre existiram. Basta conhecer um pouco da história da Igreja, começando pelos Atos dos Apóstolos e as cartas paulinas. As comunidades cristãs nunca deixaram de ser humanas.

Os defensores da doutrina partiram da análise do Instrumentum Laboris. Estrategicamente partem do que não é objetivo imediato do texto orientativo. A doutrina já está posta, mesmo que tenha sido constituída numa Tradição Viva. Partem de questões periféricas para desmontar os fins das proposições elaboradas a partir da escuta dos fiéis que estão nos territórios amazônicos e teólogos que teceram conjuntamente as grandes urgências e necessidades para os que vivem naquele ambiente, sem desconsiderar a catolicidade eclesial.

No jornal L’Osservatore Romano do dia 20 de agosto de 2019, numa entrevista do Papa a La Stampa-Vatican Insider, Francisco esclarece que, o que o motivou a convocar o Sínodo para Amazônia foi: em primeiro lugar a preocupação missionária e evangelizadora; em segundo, que o Sínodo é filho da Laudato Si, que é uma encíclica social, e não uma encíclica verde, preocupada com o bem da Criação. Por fim, denuncia que é um “território ameaçado por interesses econômicos e políticos, nos setores dominantes da sociedade, no qual a política deve eliminar a sua conivência e corrupção e assumir responsabilidades concretas”, afirma o Pontífice.

A Igreja não pode estar em função dos paradigmas políticos da esquizofrenia da política contemporânea. Ela não pode viver em função dos direitistas e esquerdistas. Tem seu paradigma evangélico. É insano que muitos fiéis católicos sejam manipulados ideologicamente para entrar nestas armadilhas retardatárias. No Brasil isso é muito evidente. Já foi denunciado que essas balbúrdias são causadas com a intenção futura de forjar a eleição do próximo Pontífice. O Papa Francisco é um Cristão fiel ao Evangelho. Ele está incomodando muitas pessoas dentro e fora da Igreja. Está mexendo com estruturas de poder e de corrupção das consciências que têm amnésia humana e cristã.

Rezemos pelo Sínodo da Amazônia! Que seja uma oportunidade de sentirmos eclesialmente com todos os filhos de Deus e nossos irmãos que “são e estão ali”. De lá, possam surgir lampejos de luzes para o Mundo. Sejamos Igreja! Sejamos Cristãos! Sejamos Humanos! Assim o seja!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X