Destaques, Notícias gerais › 10/09/2015

Sessão Solene homenageia 80 anos do jornal A Ordem

Mesa de abertura da solenidade - Foto: José Bezerra

Mesa de abertura da solenidade – Foto: José Bezerra

Na última quarta-feira (9) aconteceu a sessão solene em alusão aos 80 anos do jornal A Ordem, informativo da Arquidiocese de Natal. O evento que foi realizado no Centro Pastoral Dom Heitor Sales, no bairro Cidade Alta, em Natal, contou com a presença de autoridades, padres, seminaristas, agentes da Pastoral da Comunicação e pessoas que fizeram parte do jornal em seus 80 anos. O evento contou também com uma conferência sobre o “presente e futuro do jornal impresso” proferida pelo jornalista brasiliense, Diego Amorim.

Em sua participação, Diego reforçou a importância da comunicação na Igreja. “É fundamental. A comunicação na Igreja é um caminho sem volta: ou a Igreja se adapta e mergulha cada vez mais no universo da comunicação, coisa que ela já sabe que precisa fazer, ou ela ficará restrita da sacristia para dentro. Então cada vez mais a Igreja precisa estar onde o povo está, e hoje, o povo está inserido de maneira intrínseca nos meios de comunicação”, lembrou. Sobre o futuro do jornal impresso, Diego disse que “do jeito que está, o jornal não perdurará muito mais. É preciso haver mudanças mais profundas que se adaptem à nova realidade, das novas mídias”, frisou.

Uma das pessoas que participaram da sessão solene foi o jornalista Ney Lopes, que atuou no jornal A Ordem na década de 60. Ney lembra que o jornal, apesar da orientação religiosa, abordava temas ligados à cidade e ao estado, como política, questões policias e sociais. “A Ordem tinha a característica de dar notícia sobre a forma de reportagem que os outros veículos não tinham dado durante a semana. Era espécie de publicar o que aconteceu por trás da notícia que a cidade conhecia”, lembrou. Dentre as reportagens produzidas pelo jornalista Ney Lopes, para o jornal A Ordem, a matéria “A cidade por dentro”, de 1962, que chegou a ganhar o Prêmio Esso de Comunicação.

O jornalista Marcos Aurélio de Sá trabalhou no jornal como estagiário. Ele destacou que o tempo que passou no jornal foi a sua maior experiência profissional. “A Ordem foi meu primeiro ponto de referência, foi uma grande escola. Passei a conviver com jornalistas extremamente experimentados, especialmente com o editor do jornal, Manuel Chaparro, um jornalista trazido de Portugal pelo nosso então arcebispo, Dom Eugênio Sales. Ele era um profissional de altíssimo nível, aprendi tudo o que precisava para ser jornalista pelo resto da vida. Foi uma experiência marcante, que até hoje considero como uma das melhores coisas da minha vida”, disse.

Dom Jaime Vieira Rocha, Arcebispo Metropolitano de Natal, destacou a importância d’A Ordem: “Ontem, como hoje, o jornal A Ordem sempre ocupou o seu devido espaço na dimensão sócio-pastoral, evangelizadora, política. E hoje, mais do que nunca, é importante porque se constitui um veículo de comunicação que integra a arquidiocese em suas mais de 90 paróquias. A Ordem é um semanário que chega a todas as paróquias com notícias, registros, conteúdo formativo e evangelizador. Isso é muito importante para os tempos atuais. Até porque vivemos no tempo da segunda revolução da humanidade, que é a comunicação”, destacou.

Atualmente, o jornal A Ordem circula semanalmente e tem a tiragem de 1.400 exemplares. As assinaturas do jornal podem ser feitas com a Pastoral da Comunicação, nas paróquias, ou com o Setor Comunicação da Arquidiocese de Natal. Os interessados podem obter mais informações sobre assinaturas através do telefone: (84) 3615-2800.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X